Seguidores

19.12.07

História do Cinema Brasileiro

A primeira sessão de cinema no Brasil aconteceu no início de julho de 1897, no Rio de Janeiro. Após um ano, era inaugurado o primeiro cinema brasileiro, na rua do Ouvidor. O primeiro filme só viria em 1898, filme em que apareciam algumas cenas do Rio de Janeiro, dentre elas a baía de Guanabara.
Na verdade, esses primeiros filmes eram essencialmente documentários sobre a cidade. Bem, a partir de 1907, com o aumento do fornecimento de energia no país, abrem-se dezenas de salas no Rio e em São Paulo. Os filmes estrangeiros então quase que dominam todo o espaço, mas começam a surgir obras essencialmente brasileiras, como Os Estranguladores (1908), de Antonio Leal, considerado o primeiro filme ficcional do Brasil. Fora esse o estilo era mais de documentários.
A partir daí vários gêneros foram surgindo, como melodramas, dramas históricos, histórias de carnaval e comédias. Antônio Leal ainda é considerado o grande realizador dessa época. Mas como a entrada e aceitação dos filmes estrangeiros sempre foi mais aceita que o cinema brasileiro (sim, desde aquela época), o nosso cinema acabava sendo feito mais por encomenda, com manifestações isoladas (ninguém queria se arriscar em algo que provavelmente não seria visto mesmo). Ah, vi uma vez um filme mudo sobre um casal que passa por crises, porque o marido não dá o valor devido à esposa. Ela arquiteta um plano que o faz enxergar o tipo de mulher que tinha em casa, e valoriza-la.
A partir de 1915, nossa literatura passou a ser o assunto principal dos filmes: Iracema, Inocência, O Guarani. O único, infelizmente, dessa época que eu tive a oportunidade de ver foi A princesa Isabel (que em certos aspectos até me fez rir pela forma como retratava a chamada libertadora dos escravos, quase uma santa. A tomada de imagens também me lembrou tanto a novela Pantanal, com aquelas looooongas tomadas de mato, como que para fortalecer a imagem de que o Brasil era isso mesmo). Bem, me parece que a tendência era mesmo mostrar um Brasil moralista.
A década de 30 trouxe a explosão do cinema brasileiro. Chegava a época dos grandes estúdios. O primeiro foi a Cinédia (que passa a produzir dramas e comédias lançando artistas como Carmem Miranda, Oscarito e Grande Otelo), do Rio e, posteriormente a Atlântica (famosa pelas chanchadas e filmes baratos, teve estrelas como Dercy Gonçalves, Zé Trindade e Oscarito). No final da década de 40 surge a Vera Cruz, que almejava criar produções que competissem como o cinema Hollywoodiano. O cangaceiro (1953), de Lima Barreto, chegou a fazer sucesso lá fora. Mazzaropi é um dos grandes sucessos dessa época.
Infelizmente eu não tenho grande conhecimento sobre o cinema brasileiro dessa época. Assisti a poucos filmes, dois com a Dercy Gonçalves (sim, ela!) e alguns com a Tonia Carrero (belíssima, belíssima, não deixando nada à dever às belas estrangeiras). Vi a Sinhá Moça, do Anselmo Duarte e o Pagador de Promessas. Muito pouco para quem gosta de cinema. Gostaria de saber um pouco mais, mas, como é difícil encontrar filmes brasileiros. Como é difícil alimentar minha curiosidade.

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails