Seguidores

27.6.08

OFF>>> L’ORATORIO DE AURÉLIA CELEBRA A VIDA

Multiartista faz duas sessões de um espetáculo que vem encantando o Brasil pela competente mistura de técnicas

Ela é neta de Charles Chaplin e tem o maior orgulho de tê-lo como referência, afinal, a protagonista do espetáculo em cartaz apenas neste sábado e no domingo no Teatro da UFPE se revela “uma fã como todo mundo”. Mas em L’oratorio de Aurélia, a ser encenado neste sábado (28), às 20h, e no domingo (29) seguinte a partir das 18h, Aurélia Clementine Oona Moorine Hannah Madeleine Thiérrée faz questão de separar sua própria magia, que mescla técnicas teatrais, fantoches, ilusionismo, fantasia e o universo do circo, daquela emanada pelo avô. “Até porque Chaplin e sua arte são coisas que a maioria das pessoas conhece naturalmente. Para mim, é melhor não misturar”, comenta.

Em L’oratorio, ela é dirigida pela mãe, Victoria. Foi sob o olhar dela e do pai, Jean-Baptiste Thiérrée, que Aurélia estreou, ainda criança, nos palcos. Ali descobriu que o circo podia se transformar em algo intimista e aconchegante. “Meus pais têm um circo de duas pessoas, somente eles no palco. O show deles, Le cirque invisible, vem circulando há uns quinze anos”, diz. No seu show, ela recebe a companhia de um bailarino (Jamie Martinez, em substituição a Julio Monge, que esteve aqui quando L’oratorio foi encenado durante o Festival de Circo, em maio/07) e de outros profissionais que o público não vê, mas cujo trabalho é perceptível e crucial.

Perguntar a ela sobre a essência de L’oratorio de Aurélia é preparar-se para uma resposta abrangente: “É sobre a vida, suas buscas, procuras…”. Diante da platéia, a protagonista passeia por diferentes estágios de uma jornada que parece levá-la rumo a si mesma (e que leva sua intérprete a mostrar força, vigor físico, elasticidade, alegria, expressividade e uma latente veia cômica), mas dentro de uma perspectiva lúdica para uma vida que, na atualidade e para além do palco, esvai-se na correria de dias selvagens. Aurélia crê na poesia, no afeto e na poesia do afeto, que em seu caso traduz-se numa concepção de beleza e candura visuais.

No meio de seu primeiro giro pelo Brasil (do Recife segue para Belo Horizonte, Rio, São José do Rio Preto, Fortaleza e Salvador), ela falou sobre a alegria de trazer L’oratorio de Aurélia de volta a Pernambuco (“a platéia do Recife foi realmente muito especial”) e ainda sobre as fronteiras entre vida pessoal e um espetáculo em turnê há cinco anos. “Posso dizer que quando o espetáculo está em turnê eu moro em Paris. Já fui casada, e agora não sou mais, mas acho que você consegue meios de conciliar a vida e seu trabalho. Onde há amor, há uma maneira de superar os obstáculos”, sintetiza.

Serviço

L’oratorio de Aurélia
Onde: Teatro da UFPE (Avenida dos Reitores, s/n, Cidade Universitária)
Quando: Sábado, às 20h; domingo, às 18h
Quanto: R$ 60 e R$ 30 (meia) para platéia/ R$ 50 e R$ 25 (meia) para o balcão
Informações: 2126-8077

Fonte

Eu vou!!

Nenhum comentário:

Related Posts with Thumbnails