Seguidores

23.12.08

O que assistir no Natal quando não se gosta de filmes de Natal?

Eu estava pensando que quando chega essa época, torna-se monótono assistir a tv para algumas pessoas. Incluo-me nelas. Filmes e mais filmes com temas natalinos, excesso de vermelho e verde nas telas me fazem querer fugir loucamente para algum lugar longe. Dentre eles, “Esqueceram de mim”. Não, nada contra o garotinho do filme, que eu considero até hoje um dos melhores atores mirins de todos os tempos, Macaulay Culkin, ou contra a história, que até acho interessante. Mas é a repetição mesmo do filme que é repassado à exaustão faz qualquer um perder o interesse seja lá qual for a história. Penso que neste mundo não há uma só alma viva que já não ouviu falar/viu/queimou/desligou esse filme.

Alguns dirão que isso acontece só uma vez ao ano, e não precisa tanto drama para tão pouco. E eu lhe digo, há filmes interessantes também, mas justamente por serem pouco lembrados se transformam em opções. Gosto até de um, que se não é de natal propriamente, tem uma das cenas mais lindas do mundo com Judy Garland cantando Merry Christmas para sua irmãzinha que está triste porque a família vai sair da cidade. Chama-se “Meet me in St Louis” (traduzido horrivelmente para Agora seremos felizes), uma comédia musical de 1944, dirigida por Vincent Minelli.

Mas, filmes natalinos com lição de moral normalmente me fazem desligar a tv. E eu poderia citá-los aqui, numa lista imensa, como milhares de pessoas estão fazendo aos montes por aí. Mas não. Não conseguiria falar mal deles, porque quer queira ou não, eles têm a sua função, que é alegrar e dar esperança para quem acredita neles (nos filmes, claro). Não. Resolvi fazer minha própria lista de indicações para o natal. Só alguns e não necessariamente filmes com temática natalina, mas que poderão ser vistos durante essa época de festejos. E resolvi chama-la carinhosamente de lista de filmes natalinos para quem não gosta de filmes natalinos. Foram alguns filmes que assisti e que indico. Segue:

O primeiro é uma comédia romântica. “2 Dias em Paris” faz parte da safra do cinema francês, e traz Julie Delpy, diretora e produtora como atriz principal. A história gira em torno de um casal que sai em férias e decide fechar a viagem com chave de ouro na velha e bela Paris, berço da família dela. Ele, que já era neurótico, começa a ficar cada vez mais quando começa a encontrar um antigo namorado dela em cada esquina, culminando no abalo da relação. Julie Delpy escreveu o roteiro, dirigiu, chamou seus pais para fazerem os mesmos papéis no filme e um ex-namorado, o ator Adan Goldberg para fazer seu par. Algo bem família. O resultado final é bom, porque o filme nos deixa pensando na mensagem depois que acaba durante um bom pedaço de tempo.

O segundo que indico é “Control”, de Anton Corbijn, um drama biográfico que retrata a vida do líder da banda Joy Division, Ian Curtis, que além de sofrer com crises de epilepsia, também sofria de depressão. Alguns torcem o nariz para biografias, mas esta aqui é interessante porque o ator, Sam Riley está muito bem no papel, incorporando com desenvoltura o estilo de dança de Ian, bem como seus trejeitos e crises existenciais, e o filme não é nem um pouco cansativo. Vale também conferir pela bela fotografia em preto e branco, algo tão incomum em nossos dias.

O terceiro que indico é “Os educadores”, do diretor alemão Hans Weingartner, que conta com Daniel Brühl (Adeus Lênin!) e Stipe Erceg no papel de dois amigos que gastam suas noites invadindo as casas dos ricos quando estes estão de férias e desarrumam tudo. Eles se auto-identificam como os educadores. Tudo começa a ficar estranho quando um deles viaja e deixa o outro fazendo companhia à sua namorada, interpretada por Julia Jentsch, que também tem seus problemas com dinheiro, pois tudo o que ganha vai para pagar uma dívida que contraiu numa batida de carro com um milionário. Após serem flagrados em uma dessas invasões, eles resolvem seqüestrar o dono da casa e acabam virando foragidos. Para quem gosta de filmes fora de circuito ou alternativos este é uma boa escolha.

Eis a minha listinha. Para todos, os que gostam de filmes natalinos ou não, um bom feriado e festas. Nos encontraremos novamente aqui no ano que vem.

publicado por Carla Marinho no jconline

Um comentário:

M. disse...

Gostei da lista! A época natalina é boa! Mas realmente ver só coisas de temática natalina nesse período cansa a beleza.Também não tenho nada contra a filmes natalinos. Um feliz Natal pra você! Merry Christimas! Feliz Navidad!

Related Posts with Thumbnails